O mês de maio pode ter tido poucos jogos para os fãs de League of Legends, mas não se engane, foi tão movimentado quanto um período de competição. As finais do Campeonato Brasileiro de League of Legends (CBLOL) aconteceram no último dia (09) de maio e novamente, a equipe dos ninjas, KABUM, se consagrou campeão da primeira temporada. Em seguida as finais do circuito desafiante e a série de promoção definindo assim os participantes do próximo split da primeira e segunda divisão da modalidade.

E ainda teve mais: o anúncio de retorno da competição no próximo dia (06) de junho com uma movimentada janela de transferências que mudou grandiosamente a cara de das equipes que tentam encontrar algum diferencial a mais na troca de jogadores.

CBLOL
Felipe “brTT” Gonçalves no pré-jogo. Foto: Riot Games

É importante lembrar que o CBLOL tradicionalmente inicia seu segundo split nesta semana de junho, porém com a parada devido às enchentes, pandemia do coronavírus e o cancelamento do Mid-Season Invitational (MSI) esticaram o primeiro split fazendo com que os cyber-atletas e organizações tivessem pouco tempo para se preparar para a fase seguinte.

Tendo este cenário incomum pela frente, as equipes devem ter a habilidade de se adaptarem para uma rotina diferente das já vistas durante todo o histórico do campeonato, principalmente por conta de três fatores que conto agora.

RISCO DE BURNOUT DURANTE O CBLOL

Alguns dos atletas que competiram até o meio do mês de maio irão ter pouquíssimo tempo de descanso, tendo em vista que os treinamentos para o segundo split começam duas semanas antes do campeonato e neste ano especificamente começaram a partir do fechamento da janela de transferências. Este fato somado à rotina de de seis por um, onde os atletas treinam quatro dias da semana e competem aos sábados e domingos podem gerar um desgaste físico e mental do meio pro fim do split do CBLOL. 

ENTROSAMENTO

Com o pouco tempo de treinamentos as equipes que mantiveram a base ou até mesmo todos os atletas nessa janela de transferências largam na frente em questão de entrosamento. No esporte de alto rendimento a comunicação, liderança e cooperação em equipe são habilidades que são construídas com o tempo de contato entre os jogadores profissionais e comissão técnica e são de extrema importância para o sucesso do time no CBLOL. 

Isso não significa que as equipes que mudaram muito estão fora do campeonato, mas que é importante investir algum tempo de treinamento nessas habilidades no começo do split para que o processo de coesão grupal seja adiantado.

Imagem tirada antes do decreto de quarentena no estado de SP. Foto: Riot Games

CUIDADOS COM O COVID-19

Os campeonatos estão retornando e algumas cidades então flexibilizando a quarentena, mas isso não significa que estamos livres deste vírus. É importante que as organizações continuem seguindo as regras de prevenção e a seriedade no combate do COVID-19 para a segurança de seus atletas e staff. A saúde deles deve vir em primeiro lugar, sem eles não há espetáculo para o público e pode haver um grande desgastes para com a comunidade. Vale lembrar que o CBLOL é realizado ao vivo nos estúdios da Riot Games em São Paulo – SP e, até o presente momento a capital paulista não notificou nenhuma atualização sobre o status de flexibilização da quarentena, por este motivo o campeonato está sendo realizado de forma virtual. 

O CBLOL retorna no próximo dia 06 de junho, até o presente momento a Riot Games Brasil não se pronunciou sobre à possibilidade do retorno do campeonato presencial, mas ao que se sabe, até o momento é que a desenvolvedora seguirá por completo todas as regras de proteção e segurança estipuladas pelo Governo. Saiba mais AQUI.

Compartilhar:

Psicólogo formado pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e especialista em psicologia do esportes pelo Instituto Sedes Sapientiae. Atuou em mais de 25 modalidades esportivas e dentro do e-sports possui um título de CBLOL e participação no Worlds. Atualmente trabalha no maior clube formador de atletas olímpicos brasileiro, atua no consultório clínico, ministra aulas em turmas de graduação, palestrante e faz consultoria para equipes do cenário competitivo de e-sports.